penso no que criamos e no que a vida nos tornou, penso no que fizemos e no eu queria continuar a fazer, penso no que perdi contigo, e essencialmente no que ganhei. graças a ti desaprendi a confiar nas pessoas e a não acreditar no que elas me dizem de sério, sinto-me uma perfeita idiota. sinto que já não sou quem era e que não posso recuar, sinto-me egoísta e ciumenta porque a vida e tu me tornaram nisto.
despertaste em mim a curiosidade, a loucura e a satisfação, fizeste-me recordar o que era querer e precisar de alguém. anunciaste o sol, a brisa e a vontade de amar. só de lembrar, sinto saudade! e agora, a dor que incomoda, a desconfiança que me assombra e me rodeia. nada pára, nada se cansa, tudo parte e tudo se apaga.
podia dizer que tenho vontade de te odiar e de te matar, mas não, acabou o rancor. a partir de agora queimei tudo o que de ti existia e só um sentimento reside- desprezo.

5 comentários:

  1. pois, eu muitos dos textos também tenho em folhas. e maior parte nem os vou passar.

    ResponderEliminar
  2. ninguém precisa de saber é que ando a trocar comentários contigo, senão aí é que há festa oO

    ResponderEliminar